Cotação actualizada ao minuto

(20-11-2019 às 00:17:26)

VALOR DE COMERCIANTE

Joalharia Portuguesa no século XIX e XX

 

O século XIX ficou marcado como o longo Romantismo. A ida da Corte Portuguesa para o Brasil foi acompanhada da migração de muitos joalheiros e lapidários para a nossa colónia.

Joalharia Portuguesa

Durante o século XVIII, existiram várias medidas de repressão sobre os ourives locais, no entanto, contrariamente no século XIX assistiu-se a um desenvolvimento ímpar nas indústrias do luxo.

Compramos ouro ao melhor preço!

Simulador Ouro, Prata, Paládio e Platina

Visite também, peças com mais valor, Avaliador Oficial e critérios de avaliação. Contacte-nos!

Avaliação Oficial

Joalharia Portuguesa

Na generalidade, as obras mais importantes do início de oitocentos seguem os modelos da joalharia barroca, sobrecarregada de motivos de cunho floral e grande predominância dos diamantes.

Joalharia Portuguesa

O ourives lisboeta António Gomes da Silva, "mestre ourives da prata e cravador de diamantes" da Coroa realizou, no Rio de Janeiro, algumas obras notáveis, como a "Cruz e Colar da Ordem de Torre e Espada" em diamantes-brilhantes e esmeraldas, de 1813.

Joalharia Portuguesa

No ano de 1817, lavrou a Coroa, um ceptro e um florete para as cerimónias da Aclamação de D. João VI.

Joalharia Portuguesa

Um bom conjunto das obras de António Gomes da Silva encontra-se no Palácio da Ajuda. Mas o Brasil não nos marcou a história da joalharia apenas pelo ouro e pelos seus belos diamantes.

Joalharia Portuguesa

Desde os finais do século XVIII que João Paulo da Silva montou, para a Infanta D. Maria Francisca Benedita, várias jóias onde as ametistas, os topázios e as águas-marinhas provenientes do Brasil tinham destacado papel.

Joalharia Portuguesa

A célebre custódia do tesouro do Asilo Militar de Runa, doado pela Infanta, é hoje um verdadeiro mostruário das gemas, ricas em cor, das minas brasileiras, de onde se destaca uma enorme água-marinha.

Joalharia Portuguesa

Trata-se de uma custódia impar, no seguimento das custódias de setecentos, mas totalmente concebidas em termos do "neoclassicismo" segundo risco da própria Princesa do Brasil.

Joalharia Portuguesa

Na década de 1870, o ourives Estevão de Sousa concebeu, para D.Maria Pia, um colar e uma tiara com grandes diamantes brilhantes formando estrelas sobre uma montagem em ouro .Trata-se de um conjunto impressionante pela sua elegância e a utilização cuidada dos diamantes, o que atesta a grande perícia da sua oficina.

Joalharia Portuguesa

A joalharia Leitão e Irmão, "Joalheiros da Coroa", foi sem dúvida a mais requintada no panorama nacional, desde 1875 e, mesmo após o seu encerramento, nunca o seu prestigiado lugar foi verdadeiramente ocupado.

Leitão e Irmão

O seu grande êxito deve-se, incontestavelmente, tanto à renovação operada na arte da ourivesaria, com sofisticadas montagens e novos desenhos para jóias de inspiração no artesanato e no espírito historicista, como à acção da Rainha D. Maria Pia, fiel cliente, e que veria muitas das suas jóias "Leitão" vendidas em leilão do Banco de Portugal, já no tempo da República.

Joalharia Portuguesa

A joalharia da segunda metade do século obedeceu aos modelos "burgueses" um pouco iguais em toda a Europa. O ouro, com ou sem pedrarias, ocupou lugar destacado.

Joalharia Portuguesa

A jóia de carácter romântico, com legendas e retratos miniaturas, foi extraordinariamente divulgada. Tal como no resto da Europa recorreu-se aos mais diversos materiais que aproximassem a pessoa querida.

Joalharia Portuguesa

Destes gozam especial atenção os cabelos, recolhidos em pequenos medalhões de ouro e cristal e utilizados num cordão sobre o peito ou entrelaçados servindo de corrente ou pulseiras.

Joalharia Portuguesa

As serpentes foram outro popular motivo. Na novela de Eça de Queiroz, "Alves e C.ª, Godofredo adquire, numa ourivesaria, uma serpente em ouro, uma pulseira, com olhos de rubis mordendo o rabo na simbólica eternidade do seu amor.

Joalharia Portuguesa

A onda nacionalista dos finais do século XIX, sobretudo após o ultimato inglês que levaria à aclamação da Republica, não foi estranha à arte da joalharia.

Joalharia Portuguesa

Como recompensa das campanhas de África, foi ofertada, em 1898, a Mouzinho de Albuquerque, uma esplêndida espada de honra, em prata lavrada por José Rosas, o maior ourives do Porto de então, segundo modelo de Teixeira Lopes.

Joalharia Portuguesa

Trata-se de uma obra, exposta no Museu Militar, onde já se pressente, dentro do estilo neo-renascentista alguma modelação anunciando a "Arte Nova".

Joalharia Portuguesa

As comemorações dos centenários dos descobrimentos Portugueses, nos finais do século, deram azo a uma produção de cariz revivalista muito interessante.

Joalharia Portuguesa

Produziram-se medalhas das comemorações da chegada de Vasco da Gama à Índia, todas elas executadas pela Casa Leitão. 

Joalharia Portuguesa

Para além destas medalhas das comemorações divulgou-se toda uma produção carregada de exotismo oriental ou nostalgias neogóticas. 

Joalharia Portuguesa

A Casa Leitão privilegiou a divulgação de outros estilos de raiz histórica portuguesa como o "D. João V".

Joalharia Portuguesa

Com as volutas e concheados que conhecemos das pratas deste período de setecentos, realizou verdadeiras miniaturas em broches, colares ou pulseiras ornamentados com esmaltes, pérolas e demais pedrarias.

Joalharia Portuguesa

Quando, em 1905, Eduardo VII visitou Portugal, foi oferecida, à Rainha Alexandra, uma belíssima caravela em ouro cravada de diamantes brilhantes e rubis, que formavam as cruzes de Cristo das velas.

Joalharia Portuguesa

A utilização de platina na joalharia com as suas delicadas cravações para as gemas permitiu grandes efeitos decorativos sobretudo em jóias de inspiração mourisca, que enorme sucesso tiveram no início do século em Portugal.

Joalharia Portuguesa

Da oficina de Ferreira Tomé, na Rua da Madalena em Lisboa, saíram alguns exemplares.

Joalharia Portuguesa

Na transição dos séculos XIX para XX, é obrigatória a citação de um dos nossos maiores vultos da joalharia, João da Silva. Este notabilíssimo escultor realizou várias jóias e ainda hoje se fazem tiragens das suas medalhas religiosas, dentro do mais puro estilo " Arte Nova".

Joalharia Portuguesa

O seu grande valor faz com que raramente apareçam obras de sua autoria e que o Estado Português não possua nenhuma. São estreitas as relações da Monarquia com as jóias. Em muito a sua afirmação visual se deveu ao brilho das pedras preciosas. O final da monarquia em Portugal serviu-nos, igualmente, como fim da nossa viagem.

Joalharia Portuguesa

Visite-nos e avalie as suas peças!

Tem jóias antigas? Pretende avaliá-las? Contacte-nos!

Conheça os nossos critérios de avaliação.

Conheça a opinião dos nossos Clientes!

Conheça as peças com mais valor!

New Greenfil Lda, faça parte de uma história de sucesso!

Newsletter

Fique a par das nossas novidades!

  • Cotações do Ouro - www.kitco.com
  • Cotações da Prata - www.kitco.com
  • Cotações do Ouro - www.kitco.com
  • Cotações da Prata - www.kitco.com